5 motivos para subir o Pico da Bandeira durante o dia

Pico da Bandeira - MG/ES

Mas se quase todo mundo sobe o Pico da Bandeira para ver o nascer do sol, vale mesmo a pena subir durante o dia? Essa foi a pergunta que mais respondi quando contei aos amigos minha última investida ao Pico da Bandeira, no Parque Nacional do Caparaó. Como diz minha mãe, ‘eu não sou todo mundo’, então resolvi ir de dia mesmo, depois de alguns anos tendo subido durante a noite.

Acho que as fotos desse post por si só respondem à pergunta. Mas posso confirmar pra vocês: vale muito a pena! Então, se você já fez a ascensão durante a madrugada e já curtiu a experiência de ver de lá de cima o sol nascer, saiba que vale a pena também curtir o cume após esse horário. Pra provar isso, separamos cinco motivos pra você subir o Pico da Bandeira de dia.

 

#1. Durante o dia faz menos frio

Cume do Pico da Bandeira - MG/ES

Realizar a ascensão durante o dia, já com o sol um pouco alto, faz com que você se exponha menos a baixas temperaturas, tanto durante a subida quanto no cume. Essa foto aí foi tirada no cume do Pico da Bandeira, e dá pra ver que nem de longe precisamos de todo aquele arsenal para frio que é necessário lá durante a madrugada. Depois de conquistado o cume, ainda curtimos lá durante um bom tempo e a temperatura continuou agradável. Claro, é importante ter em mente que nessa situação os cuidados são com o sol. Manga comprida continua sendo indispensável. E esse dia estava um pouco nublado, o que ajudou a não sofrer com o sol durante a subida.

 

#2. É mais difícil se perder

Pico da Bandeira - MG/ES

Com a super lanterna chamada ‘luz do sol’ iluminando seu caminho, fica muito mais difícil se perder na trilha para o cume. O caminho já é relativamente bem marcado, com sinalização por estacas, fitas refletoras e alguns sinais pintados nas rochas. Mas procurar isso à noite requer um pouquinho mais de atenção. Com toda a silhueta da montanha visível durante o dia, fica mais fácil até mesmo deduzir por onde passar em um trecho ou outro. Além disso é mais fácil ver onde se pisa, o que pode evitar torções, quedas e encontros indesejados com animais peçonhentos. No entanto, se não tem experiência suficiente para fazer uma trilha autoguiada, na dúvida, contrate um guia.

 

#3. Você vai contemplar a paisagem do caminho

Parque Nacional do Caparaó - ES

Uma das principais reclamações de quem faz o Pico da Bandeira pela primeira vez e não está acostumado com montanhismo é o fato de não ‘curtir’ o caminho nos momentos de ascensão e descida do Pico, por serem feitos de maneira muito rápida e com muito esforço físico. Subindo durante o dia você vai ter a oportunidade de vislumbrar o entorno de diferentes ângulos. O objetivo deixa de ser apenas o cume para incluir também todo o percurso. Quando aquele cansaço bater durante a subida, é só respirar fundo, olhar pra trás e comtemplar a paisagem por alguns momentos.

 

#4. O cume só pra você

Pico da Bandeira - MG/ES

Quem já subiu o Pico da Bandeira sabe como é difícil conseguir uma foto como essa. O mais comum é que o cume se pareça com um formigueiro. Especialmente nos meses de outono e inverno, considerados ideiais para subida em função das condições do tempo, mais seco e sem chuvas. Realizar a ascensão do Pico durante o dia vai te render boas fotos.

 

#5. Essa investida pode servir de treino

O perfil da Serra do Caparó inegavelmente oferece um bom treino de caminhada em montanha. Com seus 2892 m de altitude, é o terceiro pico mais alto do Brasil e o ponto mais alto dos estados do Espírito Santo e Minas Gerais. Seja pelo ES, seja por Minas, a ascensão ao cume vai servir como condicionamento para ascensão de picos mais difíceis aqui no país ou no exterior. Além disso, pra quem almeja alcançar o cume durante a noite para contemplar o nascer do sol, mas tem dúvida quanto à exigência física do percurso, o trajeto de dia pode ser um bom tira-teima.

 

No mais, é mochila nas costas e pé na trilha. A recompensa sempre vem:

Anazélia Tedesco

Anazélia Tedesco

Anazélia Tedesco tem 28 anos, é bióloga, dedica-se à restauração de florestas como trabalho e ao montanhismo como lazer - a união dessas duas coisas define seu estilo de vida. Sua história com as montanhas começa em Pancas, a terra do Pontões Capixabas, onde nasceu. Mais tarde, conheceu os trekkings de longa distância e as tradicionais travessias e, desde então, não parou mais.
Anazélia Tedesco

Últimos posts por Anazélia Tedesco (exibir todos)

13 Comentários

  • Josenilto do Nascimento

    Valeu Ana, gostei da ideia.
    Vou aderir a sua dica.
    Abraço.

  • carol

    Oi Anazélia! Muito legal o blog, parabéns 🙂
    Gostei bastante da dica de subir durante o dia! Neste caso, que horas você recomende que a subida comece? A ideia é acampar no Terreirão e subir no dia seguinte, ou dá pra fazer o percurso sem precisar acampar?

    • Oi, Carol!
      Que bom que gostou! É bem legal receber esse retorno hoje no primeiro dia de Blog! 🙂
      Nesse caso, dá pra subir sem necessidade de acampar. Pelo lado de MG ou do ES. Eu sugiro esse roteiro pra um fim de semana em que você não tenha muito tempo, mas não quer deixar de mochilar.
      Abraço!

  • Pingback: Monte Roraima – Relato Completo do Mochilão na Venezuela | Mochilando com Elas

  • Josiane

    Olá! Parabéns pela iniciativa do blog. É sempre bom termos em quem nos inspirar, principalmente eu que também sou uma amante das montanhas. Vocês fizeram o pico da bandeira com guia?

  • Pamplona

    Excelente artigo. Meus parabéns. Sempre fico procurando algo dessa qualidade, mas infelizmente só vejo “tutoriais” mal explicados e feitos na empolgação. Gostei da objetividade e cara, que fotos incríveis…. Parabéns!!! Já agendei a ida… mesmo que sozinho.

  • luiz carlos

    legal ja fui varias vezes e nunca subi de dia . valeu a dica

  • João Henrique

    Parabéns pela postagem muito legal , estou querendo subir ao pico da bandeira essa semana a melhor opção seria pelo ES ou por MG ?

    Obrigado

  • James Coutinho

    Bom Dia Anazélia e um feliz ano novo para você!

    Estou disposto a conhecer o Pico da Bandeira, e tenho algumas dúvidas. Vocês podem me ajudar?

    LOGÍSTICA – Moro em Jundiaí/SP. Vocês conhecem alguma empresa que organize excursões da minha cidade até o Pico? Escolhi o meio de Transporte de ônibus (caso eu tenha que ir sozinho). Esse trajeto fica mais fácil de ser feito de Jundiaí/SP até Alto Caparaó/MG, ou de Jundiaí/SP até Pedra Menina/ES?

    A EXPEDIÇÃO – Essa será a minha primeira experiência com o Montanhismo. Vou realizar ela á Noite (para ver o nascer do SOL) na última semana de Março de 2017. O final de Março de 2017 é uma boa época para realizar a expedição? Ouvi falar do pessoal Anjos da Montanha. Vocês podem me dar referências deles? Como ainda não sou um montanhista experiente, acho mais fácil alugar os equipamentos indispensáveis para realizar apenas esta expedição. Vocês podem me dar uma dica sobre quais equipamentos levar (de maneira mais resumida possível)?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *